contratos Archives - Blog AboutLove

Bebidas da festa: quanto e como comprar?

Nenhuma noiva, que pretende ter um casamento com bebida alcoólica, quer ter o constrangimento de perceber que a cerveja, vodka, o espumante, acabou no meio da festa. Por outro lado, comprar demais pode significar desperdício de dinheiro.

Sem dúvidas, uma das melhores maneiras de adquirir bebidas para o casamento é pelo processo de consignação. Muitos fornecedores oferecem esse serviço que consiste basicamente em pagar por aquilo que foi consumido. Ou seja, os noivos fazem um contrato para receber um número específico de bebidas e o que sobra pode ser devolvido sem que eles precisem pagar.

Geralmente, a assessora de casamento fica responsável por controlar o processo de consumo para a prestação de contas. Algumas empresas especializadas, também enviam um funcionário designado a fazer isso. Ele é quem cuida da reposição e retirada posterior do que não foi consumido.

Já deu pra perceber que a consignação é um excelente negócio, não é?! O problema é que muitos salões de festa não aceitam esse tipo de serviço. Eles mesmos vendem a bebida gelada, geralmente cerveja e com um preço um pouco mais alto, e só permitem que algumas outras bebidas sejam trazidas de fora. Na hora de assinar o contrato, isso deve ser colocado na balança para ver se vale a pena a contratação desse ou daquele buffet.

  • Agora, como calcular a quantidade de bebidas para o casamento?

Essa é uma questão um tanto quanto complexa. Não há uma equação perfeita para todo casamento. Isso porque existem dezenas de variáveis: o perfil dos seus convidados, o clima e o costume da região, o período do dia em que o casamento vai ser realizado, a animação da festa, etc.

Por exemplo: suponhamos que os seus convidados gostem muito de whisky, mas o casamento vai ser de dia e a probabilidade é de tempo bem quente e abafado. A chance de a cerveja geladinha ser a preferida é bem alta, certo? Mas, e se as garrafas não estiverem tão geladas assim? Os convidados podem abrir mão da cerveja e ficarem somente no refrigerante e na água de coco. Notou como não há fórmulas exatas para fazer esse cálculo, né?!

O que existe é uma base, sugerida pela maioria das distribuidoras e buffets, que deve ser modificada de acordo com as características da sua festa.

  • Espumante: 1 garrafa para cada 2 pessoas. Lembre-se que durante o dia, em clima mais quente, o consumo de espumante pode aumentar. Se houver uma estação com drinks e coquetéis, essa quantidade pode diminuir para 1 garrafa para cada 3 pessoas.
  • Vodka: 1 garrafa para cada 10 convidados. Essa é uma bebida bem apreciada por jovens, portanto, se houver muitos na sua festa, considere aumentar o número de garrafas por pessoa.
  • Cerveja: 1 garrafa (600ml) de cerveja por convidado, caso a festa tenha apenas essa bebida alcóolica, refrigerante e água. Se tiver espumante e vinho, a proporção pode diminuir para 1 garrafa para cada 4 convidados. Com todas essas bebidas mais whisky, o cálculo pode ser 1 garrafa para cada 6 pessoas.
  • Whisky: Calcula-se 12 garrafas para cada 100 convidados. Tenha em mente que essa bebida pode ser mais consumida quando o clima estiver frio.
  • Vinho tinto: Em caso do vinho tinto ser servido apenas para acompanhar o jantar, o recomendado é uma média de 1 garrafa para cada 7 pessoas.

Se você tiver um barman e toda a estrutura de uma estação de coquetéis e drinks, as bebidas como cachaça, tequila, saque, etc. ficam por conta da empresa contratada. Ela é responsável por não deixar faltar bebida durante todo o período acertado em contrato. Por isso, converse com a empresa sobre o estilo do casamento e o perfil dos seus convidados.

E não esqueça: durante a festa, não precisa exagerar! Você não quer perder uma das memórias mais importantes da sua vida, né?!

 

Delícia de festa: como contratar buffet

Qualquer boa comemoração que se preze sempre envolve uma boa comilança! Quando se trata de uma festa que celebra o início de uma nova família, a comida precisa estar devidamente à altura desse momento tão lindo, não é?! A contratação de um buffet para casamento (não falando apenas espaço em si, mas do catering, o serviço de comida) requer uma atenção , que vai além de uma simples degustação.

Ah, antes de tudo, prepare-se! Essa é uma das coisas que vão “comer” maior parte do seu orçamento. Mas também, é uma dos elementos mais marcantes na experiência dos convidados. Pra você ter uma ideia, ainda hoje desejo uma sobremesa igual a que comi em um dos casamentos que fui. E pode ter certeza que, se algum erro acontecer em relação ao serviço de comida, por menor que seja, ele não passará despercebido e poderá arruinar uma festa deslumbrante! Chato, né?!

Mas para tudo ser deliciosamente memorável, os profissionais da área recomendam que a contratação do buffet seja feita de 6 a 12 meses antes do casamento. Quanto mais cedo você começar a correr atrás disso, mais tempo terá para pesquisar e recuar diante de propostas duvidosas. Um bom empresário do ramo pode sugerir pratos e criar algo que se encaixe no estilo da sua festa. Mantenha a mente aberta às novidades.

Muitos espaços contam com o serviço de buffet e não aceitam a contratação por fora de vários tipos de comida. Busque informações com outras noivas e ex-noivas sobre a qualidade dos alimentos, da agilidade e eficiência na hora de servir e do profissionalismo do contratado, antes mesmo da degustação. Se o lugar for aquele dos seus sonhos, mas o catering tiver algumas péssimas recomendações, não arrisque.

Você ainda pode contratar um buffet móvel ou à domicílio, que levam toda estrutura necessária até a seu evento. Se sua festa for em uma casa de praia ou sítio distante, por exemplo, é importante conversar sobre como será feito o deslocamento dos profissionais, equipamentos e suprimentos e se há alguma taxa a mais por isso. O ideal também é que o responsável pelo buffet visite o local do casamento para fazer um planejamento de como tudo será servido.

Antes de bater o martelo em relação a qualquer tipo de buffet, copie essa listinha com algumas perguntas que devem ser feitas:

  • Quais as restrições para contratação de outros quitutes, bebidas, alimentos por fora? (no caso do buffet ser do próprio espaço do evento)
  • Qual a política de bebidas alcoólica? Vocês disponibilizam gelo para whisky? Preciso contratar garçons a mais para servir certas bebidas? Posso comprar tudo de um fornecedor e usar os seus equipamentos para gelar? (alguns buffets não permitem que a cerveja seja comprada por fora e no pacote cobram bem mais caro por ela. Infelizmente, é uma prática comum.)
  • Quais os tipos de sucos e refrigerantes serão servidos? (é bacana ter pelo menos uma opção de zero/light)
  • Como é servido o jantar? Ponto fixo ou volante? Como será a disposição da mesa? Quantos funcionários vão servir?
  • O que vocês fazem com as sobras de salgados, doces…(a maioria dos buffets embala o que sobrou e entrega para os noivos, mas há outros que não se dão esse trabalho)
  • Quais os valores para contratação de horas extras de serviço (o padrão são 6 horas)?
  • Até quando posso pagar para aumentar o número convidados?

Os detalhes do cardápio principal, entradas e bebidas devem estar bem especificadas no contrato. Já falamos da importância dos contratos aqui no blog da AboutLove. Cada buffet tem o seu documento padrão. Se não gostou de algo, acrescente ou mude a cláusula em questão para ter mais segurança.

Não é difícil escutar depoimentos de noivas que contrataram e degustaram uma coisa e no casamento foram surpreendidas com um cardápio totalmente diferente, de qualidade inferior. Se os acertos entre as partes estiverem em contrato, é mais fácil ingressar com uma ação na justiça.

Mas fique tranquila! Se você tomar todas as precauções que listamos aqui, sua festa de casamento será super recheada de doçura sem nenhum amargor!!!

 

Contrato para festa de casamento: atenção!

Você já sabe que uma festa de casamento envolve inúmeros fornecedores, né?! Mesmo que o fotógrafo ou o decorador, por exemplo, seja um super amigão da família, renomado no mercado e uma pessoa adorável, não caia na armadilha de pular os trâmites burocráticos. Em toda contratação desse tipo de serviço que você contrata presencialmente, assine um contrato para selar a negociação. O documento garante a proteção de ambas as partes juridicamente.

Em compras de produtos feitas pela internet, certifique-se que o site especifica as condições da contratação e política de troca e devolução. Para ver exemplos, consulte as páginas de “Como Comprar“, “Perguntas frequentes” e “Política de troca e devolução” da AboutLove.

Cada detalhe fechado é motivo de grande euforia. Mas nessa hora, é preciso ser racional, ler (mais de uma vez) e analisar com calma cada cláusula contratual. Se necessário, acrescente ou altere aquilo que não te agrada. Também não custa nada pedir aquela ajuda do amigo advogado, né?! Além disso:

  • Veja se tudo que foi acertado verbalmente está especificado no contrato para festa de casamento.
  • Seja uma noiva detetive. Encontre todas as informações possíveis sobre a empresa. Converse com outras noivas e amigos que já casaram. Pesquise o nome do fornecedor na internet, incluindo mídias sociais, órgãos de defesa do consumidor e o Reclame Aqui. Na dúvida sobre a idoneidade do negócio, pule fora. Não coloque sua festa nas mãos de pessoas que você não tem 100% de confiança. Na AboutLove mantemos uma página de “Quem recomenda” com links para materiais de especialistas renomados no segmento de casamento que nos citam em seu trabalho.
  • Guarde todo material de publicidade e divulgação do fornecedor, como panfletos, materiais de revistas e jornais. Eles podem ser usados como prova, caso algo de errado possa acontecer no futuro.
  • Organize uma pasta e guarde com carinho todos os contratos assinados e os papeis coletados.

 

grey Contrato para festa de casamento: atenção!

Foto: via Popsugar

O que um contrato para festa de casamento deve ter?

Primeiro de tudo, ele precisa ser o mais detalhado possível. No papel, devem constar os pormenores conversados e os serviços que você anseia. De acordo com os advogados especialistas, o documento deve estabelecer:

  • A data e o horário do casamento
  • O valor e a forma de pagamentos
  • A descrição minuciosa do serviço prestado (formato, tipo, quantidade de fotos, data de entrega, quantidade de salgados, doces, tipo de flores e arranjos, hora de saída e entrada da banda, etc.)
  • No caso de uma assessoria de casamento, geralmente você pode contratá-la no formato completo ou parcial. Deixe claro qual sua opção, as responsabilidades do profissional e o que está incluso no pacote.
  • A possibilidade de rescisão do contrato e as implicações caso o acordado não seja cumprido.

Quem não é muito sistemática, pode achar tudo isso chato. Mas é melhor passar por uma chatice pequena hoje do que um pesadelo no futuro, né?!